O que é Mutismo Seletivo?

O que é Mutismo Seletivo?

 

Vamos entender, o que é mutismo seletivo? De acordo com o Manual de Diagnóstico e Estatística dos Transtornos Mentais – 5ª edição (DSM-V), o mutismo seletivo é um transtorno de ansiedade, caracterizado pela recusa em falar em situações específicas. Geralmente acomete crianças que tem um perfil mais tímido, introvertido e muitas vezes ansiosas. Estas crianças falam normalmente com seus pais, familiares e alguns amigos, elas não possuem problemas de fala como gagueira, comunicam-se perfeitamente. Mas por determinada situação, que as deixam desconfortável, elas deixam de se comunicar com algumas pessoas. Normalmente, elas apresentam dificuldade em olhar nos olhos, dificuldade em sorrir, de se expressar em público. É mais comum ocorrer em meninas, do que em meninos. Em adultos é diagnosticado como fobia social.

O mutismo seletivo caracteriza-se por uma falha da criança em falar quando seria esperado que ela se comunicasse, a qual não é explicada por desentendimento do idioma ou não-compreensão do que está sendo falado. Geralmente a recusa não ocorre em toda exposição social, mas com relação a algumas situações ou pessoas. Normalmente o transtorno aparece nas idades entre os 5 e 11 anos.

Observações clínicas indicam que pais de crianças com mutismo seletivo reforçam o comportamento da criança ao apoiarem quando os filhos não respondem aos outros. Além disso, alguns estudos evidenciam que parte das crianças com este quadro apresentam comportamentos desafiadores e agressivos. As crianças são frequentemente definidas pelos pais como tímidas e socialmente evitativas.

Para inclusão de pacientes com mutismo seletivo, os estudos utilizam os critérios do DSM-V, avaliados por profissionais, a duração da problemática deve persistir por pelo menos um mês, descartando o primeiro mês de escola. A interferência no desempenho social e escolar da criança também deve ser afetada, como fator de critério diagnóstico. Uma boa avaliação para mutismo seletivo é feita através de entrevistas com pessoas do convívio da criança, como professores, babá e familiares.

Como opção de tratamento para o mutismo seletivo, utiliza-se a terapia cognitiva comportamental (TCC). Em casos mais extremos utiliza-se também a medicação, onde a criança deverá fazer acompanhamento com médico psiquiatra.

Importante lembrar que, estas crianças estão passando por uma fase de reclusão e negação de falar com determinadas pessoas e situações, por isso estão vivendo um processo forte de ansiedade e precisam de muito apoio e colaboração de seus pais, amigos. Assim aos poucos, elas devem retomar sua segurança e tranquilidade e voltando a se comunicarem normalmente. A melhora deve ocorrer de maneira lenta e gradual, com muito amor, carinho e segurança.

 

Referência bibliográfica: LEVITAN, Michelle N. et al. Guidelines of the Brazilian Medical Association for the treatment of social anxiety disorder. Revista Brasileira de Psiquiatria, v. 33, n. 3, p. 292-302, 2011.

Comente

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com "*".